Os Perfumes de Padre Pío

                

A osmogenesia, é um carisma possuído por alguns Santos. Tal carisma, em algumas circunstâncias, permitiu percebe-se à distância perfumes particulares. Tais perfumes são definidos como odores de santidade. O Padre Pío chegou a manifestar tal carisma e estes fenômenos foram tão freqüentes  que as pessoas comuns ficaram admiradas e definiram este fenômeno como “Os Perfumes de Padre Pio”. O perfume emanava de seu corpo e também dos objetos que ele tocava e também de suas vestes. Em outras ocasiões, o perfume fora percebido nos lugares onde ele passava. 

Um dia, o médico de costume, retirou do tórax do Padre Pío um, curativo composto de bandagens (gases) que foram utilizadas para estancar o sangue. O médico guardou os curativos em um estojo, para ser levado a um determinado laboratório localizado em Roma, para que fossem analisados por meio de testes laboratoriais. Durante a viagem, um Oficial e outras pessoas que estavam na mesma viagem, sentiram o perfume que era emanado do Padre Pío. Nenhuma daquelas pessoas sabiam que o médico possuía em seu bolso os curativos, contendo o sangue do Padre Pío. O médico conservou aqueles curativos no seu estojo, e o estranho perfume impregnou por longo tempo o estojo, tanto que os pacientes que foram visitados pediram explicações a respeito de tal perfume. 

O Frade Modestino contou em certa ocasião: "Era uma vez,  em que me encontrei de férias em San Giovanni Rotondo. Na manhã, me apresentei na Sacristia, a fim de celebrar a Missa com Padre Pío, e outros frades discutiam a fim de ter este privilégio. O Padre Pío interrompeu aquela discussão e disse – “Na Missa, que servirá comigo é ele” – e terminou por me indicar. Ninguém disse mais nada. Acompanhei o Padre até o altar de São Francisco, e o ajudei a prepara-lo para a Santa Missa em absoluta concentração. No momento do "Sanctus" tive um repentino desejo de sentir aquele indescritível perfume que senti muitas vezes, quando beijei a mão do Padre Pío. O desejo foi concedido logo em seguida. O cheiro do perfume me envolveu e aumentou o odor em demasiado. Não conseguia respirar normalmente. Tive que me apoiar no balaústre, com a mão para não cair. Estando a ponto de desmaiar, quando pedi ao Padre Pio, para me socorrer e evitar esta cena na frente de tantas pessoas. Naquele preciso instante o perfume desapareceu. Ao fim da tarde, acompanhei o Padre ao seu quarto, e pedi ao Padre explicações sobre o ocorrido, este me disse o seguinte: “Meu filho, não sou eu ou você. É Deus que atua. Ele deixa sentir este perfume, quando ele quer e a quem ele quizer. Tudo ocorre segundo o gosto dele próprio." 

Eu estava ao lado de um confessionário. Da minha pequena janela vi que o Padre Pio estava recebendo uma confissão e no outro lado estava uma senhora. Enquanto eufiore.gif (2499 byte) aguardava para  falar com o Padre, senti um forte perfume de lírios. Isto foi me transtornando porque eu nunca tinha acreditado na história dos perfumes. E assim, eu me convenci que os perfumes do Padre Pio realmente existiam.

Uma senhora de Bolonha que tinha 24 anos teve um certo braço fraturado. O mesmo braço tinha sido operado três anos antes por causa de um acidente sério que aconteceu. Depois de uma nova operação e de um longo e doloroso tratamento, o cirurgião falou para o pai da menina que ela não poderia usar mais o braço. Na realidade o braço estava completamente duro por causa da remoção de uma parte do ombro. Foi feito um enxerto no osso que não teve sucesso. O pai e filha estavam aflitos, passando por St. Giovanni Rotondo, Padre Pio os conheceu, ele os abençou e declarou: "Acima de tudo nenhum desespero! Confie em Deus! O braço recuperará."  No final do mês de julho de 1930, a mulher retornou para Bolonha sem qualquer melhora em seu braço. Era possível pensar que Padre Pio estivesse errado? Ninguém pensou,  por meses no problema. No dia 17 de setembro, o dia das celebrações dos estigmas de S. Francisco, de repente no apartamento onde a família vivia estava cheio de um cheiro delicioso de junquilhos e rosas. Este fenômeno durou uns quinze minutos enquanto todo mundo tentava entender donde aquele perfume se originava. Daquele dia em diante, a menina começou a usar o braço dela novamente. Feita uma nova radiografia no braço dela, mostrou que o osso e as cartilagens estavam completamente sistematizadas e recuperadas. 

Um homem contou: "... um dia eu decidi seguir o sugestão da minha esposa para ir no Padre Pio. Eu não estava participando da igreja por um vinte e cinco anos, precisamente no dia de meu matrimônio. Eu sentia a necessidade de me confessar, mas assim que eu estive próximo a Padre Pio, ele me falou bruscamente sem olhar para mim: "Vá embora! " - Eu respondi: "Eu estou aqui para me confessar, e me dê a absolvição" - eu lhe falei asperamente, mas ele respondeu asperamente: "Vá embora, eu disse." e eu fui embora. Eu sai da pequena Igreja e fui para o hotel. Minha esposa que tinha me visto sair da Igreja daquele modo, me encontrou no hotel e perguntou: o que aconteceu? O que você está fazendo? " - Ela queria saber. "Eu vou arrumar a mala e ir embora", eu respondi. Mas naquele momento senti uma nuvem de perfume. Era um intenso perfume, maravilhoso. Eu estava confuso. Eu me tranquilizei no momento e eu sentia dentro de mim um grande vontade de ver o Padre Pio. Eu voltei para vê-lo mais tarde, mas antes de falar com ele, eu examinei minha consciência cuidadosamente. Amavelmente Padre Pio me deu boas-vindas e me deu a absolvição." 

Uma senhora contou: - Meu marido acidentou-se com o seu carro e foi transportado para o hospital em Taranto, com perigo de perder a vida. Os doutores disseram que não tiveram nenhuma chance para salvá-lo. Normalmente, quando eu vinha visita-lo, eu parava e rezava na frente a um monumento de Padre Pio, no jardim do hospital. Um dia, o "Santo" fez-me cheirar um perfume de maravilhoso de lírios e me fez entender que minhas súplicas tinham sido ouvidas. Daquele momento as condições de meu marido melhoraram e ele começou a recuperar-se completamente. 

Um cavalheiro de Toronto contou: - Em 1947 minha esposa que tinha se adoecido seriamente, foi hospitalizado em Roma para enfrentar uma séria operação cirúrgica. Eu parti para St. Giovanni Rotondo, eu me confessei com Padre Pio e, depois de receber a absolvição,  eu falei com o padre sobre o condição de saúde de minha esposa. Então eu pedi: "Padre, me ajude a rezar! ". Naquele momento eu senti um cheiro de um perfume delicioso e persistente que me pegou de surpresa. Eu voltei para casa na mesma noite. Assim que eu abri a porta, eu senti aquele perfume que eu tinha cheirado quando eu estava próximo a Padre Pio. Eu estava confiante. Minha esposa foi operada e a operação que era perigosa estava terminada com sucesso. Eu lhe contei a maravilhosa experiência que eu tinha tido, e juntos, agradecemos Padre Pio. 

Os noivos moravam na Inglaterra e eles tiveram que tomar uma séria decisão. No ponto de vista humano a situação parecia desesperadora. O que fazer? Alguém falou para eles  sobre Padre Pio. Eles escreveram para Padre Pio, mas não tiveram nenhuma resposta. Então eles tomaram a decisão de ir para St. Giovanni Rotondo, para perguntar diretamente para Padre Pio. Da Inglaterra para Puglia (Itália), a viagem era longa! Eles passaram a primeira noite em Berna e se perguntaram se valia a pena continuar. Eles pensaram: "Vamos  supor que o Padre não nos receba! " A noite, eles estavam conversando e estavam tristes, em um pequeno quarto de hotel de última categoria na qual eles tinham reservado para economizar dinheiro. Era inverno e estava nevando. Eles estavam desanimados, e estavam no ponto decidir que deveriam voltar. Mas de repente eles se sentiram um perfume delicioso e forte, tão agradável, que eles foram confortados. A mulher começou a procurar a fonte daquele perfume e pensou que algum viajante distraído tivesse esquecido uma vidro de perfume no quarto. A procura não teve nenhum sucesso! Logo após o perfume ter diminuído, o quarto emanou o odor habitual fedorento. Os dois viajantes com curiosidade questionaram o dono do hotel que nunca sentiu qualquer coisa do perfume. Na realidade foi a primeira vez que os clientes do hotel dele acreditavam ter cheirado um pouco de perfume. Mas esta aventura os empurrou na decisão de continuar a viagem. Eles chegaram a St. Giovanni Rotondo e se encontraram com Padre Pio. O jovem homem sabia falar em italiano e disse: - "nós escrevemos para o senhor, mas o senhor não nos respondeu... " – Por que isto? Por que você esta me falando que eu não lhe respondi? E naquela noite no hotel suíço, você sentiu o cheiro de qualquer coisa?... Com poucos palavras, Padre Pio resolveu as dificuldades deles. Os dois jovens estavam felizes e cheios de gratidão. Eles entenderam então, que o perfume que eles tinham sentido no quarto do hotel era o perfume do Padre Pio. 

Um cavalheiro conheceu Padre Pio por umas séries de coincidências estranhas. Ele contou: "Na primeira vez, eu ouvi alguém que falou sobre este religioso extraordinário, após a guerra. Um amigo meu, conheceu bem o Padre, ele falou com entusiasmo sobre ele. Eu pensei que ele estava exaPadrendo para falar sobre ele deste modo. Minha primeira reação era de indiferença e incredulidade, especialmente quando meu amigo me falou sobre o fenômeno dos perfumes de Padre Pio que muitas pessoas disseram ter sentido o cheiro em lugares muito distante do religioso. Freqüentemente, estes fatos estranhos começaram também acontecer para mim. De repente eu senti um intenso perfume de violetas em lugares incomuns onde era impossível achar flores. Meu pensamento foi para Padre Pïo, mas eu me rebelei e falei que elas eram sugestões da minha mente. Um dia o fenômeno também aconteceu enquanto eu estava de férias com minha esposa. Eu tinha ido para a estação para enviar uma carta, e naquele lugar que normalmente não é perfumado eu senti aquele perfume inconfundível de violetas. Enquanto eu estava refletindo sobre aquele fato, minha esposa disse: "Mas de onde vem este perfume? " Você pode senti-lo? Eu exclamei maravilhado. Então eu lhe contei sobre Padre Pio, e sobre as discussões com meu amigo, e sobre o perfume que me perseguiu por muito tempo. "Se eu fosse você", - disse minha esposa - "eu partiria imediatamente para St. Giovanni Rotondo." Um dia depois nós estávamos em viagem. Quando estávamos em frente ao padre, ele disse: "Ah, aqui está nosso herói; que com muito esforço eu o fiz  chegar aqui". Naquele mesmo dia eu tive a possibilidade para falar com ele, e daquele momento minha vida estava mudada. 

Um cavalheiro contou: "Alguns anos atrás eu tive um ataque do coração. Os doutores recomendaram que eu enfrentasse uma operação cirúrgica para melhorar minha condição de vida. Eu decidi entrar em hospital para a operação. Era o mês de junho de 1991. Durante a operação os doutores puseram próximo a meu coração quatro marca passos. Após eu acordar do efeito da anestesia, eu tive um certa paralisia da perna e do braço. Eu estava desanimado, mas depois de um tempo a fé me animou e comecei a implorar ajuda para Padre Pio. Eu o implorei durante três dias usando um chapeu que minha mãe usou quando ela estava viva. No terceiro dia, assim que eu terminei de pedir, apesar de estar rodeado por outros pacientes, eu senti um intenso perfume de flores. Quando este perfume diminuiu, eu senti um arrepio na perna direita e eu entendi imediatamente que minhas orações tinham sido concedidas." 

Uma senhora contou: - "Eu tive grandes problemas a ambos os olhos. Eu conseguia enxergar só um pouco. Eu consultei vários doutores e depois de várias análises eles me diagnosticaram um hemorragia ocular irreversível e um tumor provável para a hipófise. Isto me deu tanta ansiedade e sofrimento; este mal, como declararam os peritos, não era curável. Eu estava em viagem e estava a ponto de passar perto de Benevento, assim eu decidi alcançar Pietrelcina onde eu tive a benção de visitar os lugares de Padre Pio. Durante a visita em um dos últimos quartos onde viveu Santo Pio, eu estava muito encantada e, enquanto eu estava rezando para meus parentes, eu senti um intenso perfume de incenso. Enquanto eu estava voltando a Roma através de um trem, eu meditei no que tinha acontecido e não estava arrependido por ter implorado para Padre Pio para curar meus olhos doentes. Eu pedi imediatamente, com fé, a ajuda dele. Padre Pio não me fez esperar a sua ajuda. Na realidade eu melhorei minha visão progressivamente e depois de algum tempo a  minha visão voltou totalmente. Os peritos que me visitaram não puderam acreditar na minha recuperação total e inexplicável. 

Um cavalheiro de Canicatti (Sicília-Itália) contou: - "No princípio do ano 1953, minha esposa estava grávida, e ela teve um problema sério. A vida dela e a vida da criança estavam em perigo, disse os doutores. Nenhuma operação teve sucesso. No dia 3 de maio, eu estava desesperado e escrevi uma carta para Padre Pio pedindo a ajuda dele. Alguns dias depois, minha esposa e eu estavamos em diferentes quartos, quando no mesmo tempo sentimos um perfume misterioso de rosas. Naquele momento precioso o carteiro bateu à porta e nos entregou uma carta que foi enviada do convento de St. Giovanni Rotondo no qual nós lemos que o Padre Pio tinha rezado para minha esposa e para nossa criança. Um dia depois nós fizéssemos outro check-up médico, notamos com surpresa que a doença tinha desaparecido." 

Um advogado que era devoto de Padre Pio contou: - "Uma vez eu estava numa velha igreja do convento escutando a Santa Missa do Padre Pio, e no momento da consagração do pão, eu fui distraído pensando em outra coisa. Eu era a única pessoa que se levantou no meio da multidão que estava ajoelhada. De repente eu senti um odor penetrante de violetas que me fizeram volte à realidade e dando uma olhada ao redor de mim, eu também ajoelhei sem pensar no estranho perfume. Como sempre, depois da missa, eu fui cumprimentar Padre Pio que me deu boas-vindas dizendo: "Você estava um pouco desorientado hoje? "- "Sim, eu estava Padre; Minha mente se ausentou hoje mas felizmente seu perfume me acordou" – Ele disse: "Para você o perfume é necessário, para você os tapas são necessários."

Depois da conversão, um balconista Siciliano quis confessar-se com o Padre Pio. Estando com o Santo Pio, num gesto fraterno, ele segurou a sua mão direita por alguns instantes, porém, o suficiente para marca-lo por toda a vida, pois um perfume  único e indescritível o envolveu. Chegando em Foggia (Itália), notou que sua mão direita tinha um perfume que sua mão esquerda não possuía, era o mesmo perfume que ele sentiu quando  estava próximo do Padre Pio. O perfume não desaparecia nem sequer se ele lavasse as mãos. Considerando que, Padre Pio tinha dado a ele uma penitência durante dois meses, o balconista poderia sentir o mesmo perfume que subia de sua mão para seu peito  e nariz. O perfume era tão intenso que ele se sentia inebriado. Com o passar do tempo, e à medida que era cumprida a penitência, o perfume começava a desaparecer, fazendo com que o penitente tentasse de todas as formas voltar a senti-lo em seu corpo, sem qualquer resultado, por fim, quando a penitência terminou, o perfume sumiu, porém naquele homem, ficou a certeza de ter acontecido uma experiência viva da misericórdia de Deus em sua vida, através deste fraterno encontro com o Santo Padre Pio.

linea.gif (3372 byte)

Biografia   expbul1a.gif (699 byte)   Milagres   expbul1a.gif (699 byte)   Recuperações   expbul1a.gif (699 byte)   Bilocação   expbul1a.gif (699 byte)   Os Perfumes  expbul1a.gif (699 byte) Conhecimento sobrenatural   expbul1a.gif (699 byte)   Aparições    expbul1a.gif (699 byte)    Levitação    expbul1a.gif (699 byte)   O Anjo da Guarda    expbul1a.gif (699 byte)    O Diabo    expbul1a.gif (699 byte)    Orações    expbul1a.gif (699 byte)    O Santo Rosário    expbul1a.gif (699 byte)    Novena para São Pio     expbul1a.gif (699 byte)   Os Dez Mandamentos expbul1a.gif (699 byte)

 

HOMEPAGE